terça-feira, 20 de janeiro de 2015


  Procuro-te
   Na fresta do silêncio
   Na reentrância da noite
   Procuro-te no meu eu
   Em desmaiados céus
   Existência do haver acaso
   De alucinadas realidades
   Parte de quem eu sou
   Pedaços quebrados inteiros
   Avesso do inverso ser
   Eu sou do me existir
   Me desprendo por espaços
   Entre mim e eu, sem regras
   Junto-me aos pássaros...
   Aprendo a voar antes do voo
   (Sem saber se ausento-me)
   Ou se te espero, tempo demora
   Te penso (esqueço-te em mim)
   Procuro-te... Acho-me quem sabe
   Encontro-me, estou te indo estou
   Amo-te, e perco-me em nós....

   Maria Jose Salles Callado / 16.01.2015
   Foto - MJSC - Belo Horizonte / Brasil 2013

Nenhum comentário: