quarta-feira, 12 de julho de 2017

                                               Fuselagem Azul
                                               O ar estava carregado e denso
                                               Céu limpo, com cheiro de chuva
                                               Recobrindo com silencio os campos
                                               Diante de mim, rios juntando-se além
                                               Gostaria de fazer um looping rasante
                                               Grande mergulho com minhas asas azuis
                                               Avião de fuselagem azul, no tapete do céu
                                               Biplano de cabine aberta, entre às nuvens
                                               Planando nas manchas de óleo sobre águas
                                               Dando ao mundo do rio um tom de coca-cola
                                               Rio que serpenteia, torce, se retorce por aí
                                               Mais no final acaba sempre no mesmo lugar
                                               O rio nunca muda... Somos nós que mudamos
                                               Linha das águas, seguindo o caminho das pedras
                                               E onde termina o rio... E onde começa a estrada
                                               Que importa o caminho, construído no improviso
                                               Quando o meu eu me empurra mais pra frente
                                               Recomeço me levando longe, de novo, de novo

                                             Maria José Salles Callado / 18.11.10
                                             Foto - MJSC -Puerto Varas / Chile 2014
Share

2 comentários:

Anônimo disse...

Não importa a distância que o rio tem, nem mesmo as curvas e a velocidade de suas águas. O fim será sempre o mesmo. Em comparação com a vida que levamos, nesse nosso rio de emoções e atividades diárias, vemos que o fim nem sempre é o mesmo, e é aí que a vida tem muito mais emoção do que qualquer rio, nao importando sua dimensão. Adorei, Mazé. Beijos, Lê Melges.

Lilian disse...

Querida,

Posso arriscar em dizer que você é um rio de aguas tranquilas, que segue seu curso. Sabe que seu destino é o mar, mas não sabe aonde fica, se está perto ou longe. Mas não importa, o vento sempre se encarrega de levá-la, dando-lhe a esperança e a vontade de chegar com uma suave e acolhedora brisa. O rio e o vento caminham lado a lado, e juntos formam imensas ondas, e cada vez mais você se sentirá fortificada. Porém , nunca fuja do seu curso ...

Um beijo