segunda-feira, 26 de junho de 2017

                                               Meio Sol do Amor
                                               Amor parede remendada no tom do amarelo girassol
                                               Ícone pintura desbotada, do meio sol do entardecer
                                               Nada é infinito, nada é eterno, na dimensão do tempo
                                               Tempo de jogar imaginação através da viagem sonho
                                               Tempo olho da noite, noite longa sem cor e nem olhos
                                               Destrancando os círculos da espera do tudo imaginar
                                               Eu sou o eu de você, do amor disparada terra ventania
                                               Terra o temporário entre paredes de um mar de cores
                                               Cor do impossível parecer possível no país imaginação
                                               Mulher mais contorno do que corpo, instintos ousados
                                               Espécie fêmea, cheiro madeira, desejos sem controle
                                               Sentir? Ou não sentir? O amor! Não faz mal a ninguém
                                               Amor escondendo-se dentro, e tentando sempre escapar
                                               Closes do corpo-alma! Amor atração oceânica inevitável
                                               Mergulho no extraordinário, do antes e do depois sentir
                                               Grande interrogação surgindo, e desaparecendo em mim
                                               Por que o amor aconteceu? Não sei bem porquê, diga-me
                                               Quero ser uma gaivota no vagar meio sol aldeia do amor.
 
                                               Maria Jose Salles Callado / 08.07.08
                                               Foto - MJSC - Barcelona / Espanha
Share

4 comentários:

ISA disse...

MAZE.

Sua poesia me leva a tentar entender o que é o AMOR... AMOR é um exagero... É um cuidar de... uma batelada de carinho? Também não... Talvez se não houvesse sentido esse negócio de AMOR não sei definir...
BEIJOS...

Lilian disse...

Realmente, suas poesias são de uma intensidade e profundidade muito grande..
A forma com que você trata as palavras é bem interessante, você sabe usá-las com uma facilidade muito grande. Essa poesia me surpreendeu, pois normalmente as que falam de amor são bem simples, que não exigem uma reflexão muito grande. Essa, pelo contrário, precisa de um sentido poético para poder desfrutar de toda sua magia.

Muita imaginação, magia poética e criatividade desejo para você!

Anônimo disse...

A sua poesia tem um ritmo, tem alto e baixo e vai de um extremo ao outro, da vida a morte. Mexe com o nosso coletivo, nas coisas mais simples do ser e ao mesmo tempo complexa, o amor.
É muito bom desfrutar de suas poesias. Patricia DF

Marily disse...

Eu AMEI Óbidos! Uma cidadezinha pequena em tamanho mas cheia de encantos! Beijos.